segunda-feira, 2 de junho de 2008


Sento, penso, reflicto... continuo andando no meu caminho.

Lua nova, não há lua, ilumina-me a luz de um candeeiro de rua.

Hoje serás tu a minha luz. Paro, bebo um pouco de vinho e fumo o meu cigarro.

Continuo a andar, não sei para onde vou.

Vou onde me leva este caminho de pedra.

A minha luz foi-se, o candeeiro ficou para trás... já não sei o que é feito dele.

O cigarro também já se apagou... estou sozinho.

Já não ouço nada, não vejo nada e a mim também ninguém me observa.

Finalmente vou parar, vou descansar, vou deitar-me neste banco de rua que encontrei no fim do caminho...

Talvez mais logo, mais tarde, talvez um dia... o sol vá também nascer para mim.


Maria Moutinho

4 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns José Boldt!
Mais uma fantástica foto. Esta é uma das minhas favoritas!

Um abraço
João Domingues

minucha disse...

Conseguiste fazer com que a calçada tivesse 3 dimensões.
Fabulosa!

Swt disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Sento, penso, reflicto... continuo andando no meu caminho. Lua nova, não há lua, ilumina-me a luz de um candeeiro de rua. Hoje serás tu a minha luz. Paro, bebo um pouco de vinho e fumo o meu cigarro. Continuo a andar, não sei para onde vou. Vou onde me leva este caminho de pedra.
A minha luz foi-se, o candeeiro ficou para trás... já não sei o que é feito dele. O cigarro também já se apagou... estou sozinho. já não ouço nada, não vejo nada e a mim tembém ninguém me observa.
Finalmente vou parar, vou descansar, vou deitar-me neste banco de rua que encontrei no fim do caminho... Talvez mais logo, mais tarde, talvez um dia... o sol vá também nascer para mim.

MM